Do Blog do Ariel Castro

domingo, 13 de março de 2011.

CASO REAL CLASS: PERITOS SÃO ENFÁTICOS "HOUVE ERRO DE CÁLCULO"

Exatamente 39 dias após o desabamento do edifício Real Class, na Travessa 3 de Maio, no bairro de São Brás em Belém, foi confirmado o motivo do desabamento do prédio: erro de cálculo. O laudo foi divulgado à imprensa, no final da tarde desta sexta-feira (11), por engenheiros da Universidade Federal do Pará, a pedido do CREA-PA (Conselho Regional de Engenharia do Pará).

Vista aérea da área onde o prédio desabou

De acordo com Dênio Ramar Carvalho de Oliveira, doutor em análise de estrutura da UFPA, houve um 'erro no cálculo estrutural da obra', onde ocorreu o colapso do edifício. A estrutura do prédio foi submetida a uma combinação elevada de carregamentos verticais (parede, contra piso, revestimentos) e horizontais (o vento).

'O prédio apresentava alguns problemas no cálculo estrutural, verificou-se que diversos pilares no nível do pavimento térreo não apresentavam resistência compatível com os esforços atuantes, alguns apresentando ruptura (fissuras) brusca, sem avisos. Devido isso, estes pilares não aguentaram o peso da obra, ocasionando o colapso', explica Dênio Ramar.

De acordo com o presidente do Crea-Pa, engenheiro civil José Viana, o laudo será encaminhado para a Câmara Especializada em Engenharia Civil, de Belém, onde será verificado se houve imperícia, imprudência ou negligência por parte do engenheiro estrutural da obra, Raimundo Lobato da Silva. Feito isso, a Comissão de Ética irá avaliar o caso e se pronunciará se, caberá ou não penalizar com advertência ou suspensão o engenheiro responsável ou se arquiva processo.


José Viana, presidente do CRE-PA

Segundo o diretor do curso de Engenharia da UFPA, Manoel Peres, as análises deram muito trabalho e todos que participaram do laudo são mestres e doutores em Engenharia Civil. 'Fizemos um estudo bastante detalhado, utilizamos softwares específicos que detectaram o erro no cálculo de estrutura da obra', conta.


Manoel Peres, diretor do curso de Engenharia da UFPA
Ainda de acordo com Manoel, se o prédio tivesse tombado para o lado naquele dia, haveria muito mais mortes. 'Este foi um erro inadmissível! Qualquer um outro engenheiro calculista teria acertado esse cálculo', acusa.

Veja o roteiro do laudo técnico pericial sobre o desabamento do Real Class!



Outro lado - Em nota a Real Engenharia informa que ainda não recebeu o documento elaborado por professores da Faculdade de Engenharia Civil do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará, contendo laudo com os resultados da investigação feita para identificar as causas do acidente do edifício Real Class.
A Real Engenharia diz ainda que acatará as conclusões de ordem científica porém, só se manifestará após conhecer, em conjunto, o teor do laudo contratado pelo CREA-PA e os laudos de outras duas investigações que estão em andamento no âmbito da própria empresa e do Centro de Perícias do Instituto Renato Chaves.
História - O desabamento do Real Class aconteceu, no dia 29 de janeiro de 2011. Três pessoas morreram, entre elas, dois operários e um senhora que vivia em uma casa ao lado da edificação.  A tragédia deixou também muitas famílias desalojadas.

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |