Mutirão da catarata vai atender idosos acima de 60 anos em Belém.

sexta-feira, 18 de março de 2011.

Hospital realiza Mutirão da Catarata sábado (19)
No próximo sábado, dia 19 de março, o Hospital Bettina Ferro realizará o Mutirão da Catarata. O objetivo é atender o maior número de pessoas possíveis que tenham acima de 55 anos de idade e que nunca se operaram da doença. O atendimento acontecerá ao longo do sábado, mas o acesso das pessoas pelos portões da UFPA será permitido das 7h às 12h, intemperivelmente. Para participar é necessário ter em mãos alguns documentos. Para detalhar sobre o assunto, representantes do HUBFS concederam coletiva à imprensa na manhã desta quarta, 16, no hospital.
A mestre em Enfermagem, Cristina Mitiko, da equipe de coordenação do mutirão, ressalta que o diferente na ação deste ano é que as pessoas que passarem pela triagem e tiverem catarata farão no mesmo dia os exames pré-operatórios e sairão do hospital com a cirurgia agendada. “As pessoas vão se submeter a uma triagem que selecionará somente as que tiverem catarata e não envolverá prescrição de óculos ou diagnóstico e tratamento de outras doenças oculares. Vamos realizar todos os exames e marcar a cirurgia”.
O diretor geral do HUBFS, o professor doutor Paulo Amorim, considera que o mutirão é uma possibilidade que a UFPA e o Bettina têm para ajudar no processo de cidadania da população, em especial a carente. “É um apoio efetivo ao processo de cidadania e de direito à saúde tendo como vertente a preocupação no resgate e garantia da qualidade de vida do paciente”. 
Para atender aos usuários, o Hospital Bettina possui cerca de 40 pessoas que fazem parte da equipe multiprofissional experiente, que vão utilizar métodos modernos como a utilização do aparelho de facoemulsificação.
As cirurgias marcadas serão realizadas até julho deste ano e os procedimentos acontecem no Centro Cirúrgico e não requerem internação dos pacientes, que ficam em observação no Hospital Dia, dentro do próprio Bettina, e voltam para casa algum tempo depois da cirurgia. Um pouco mais tarde, eles retornam para acompanhamento médico.
A ação é uma iniciativa do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Quem não for encaminhado para a cirurgia no Mutirão da Catarata deve procurar atendimento de rotina no Sistema Único de Saúde (SUS) para buscar tratamento das demais patologias.
Documentos - Para participar, basta levar no dia da ação os documentos originais de registro geral, CPF, comprovante de residência do município que mora ou de Belém e cartão do SUS, mas caso não tenha este último não há problema. É importante ainda a pessoa estar acompanhada.
Último Mutirão - Mais de 1,2 mil pessoas, entre idosos e acompanhantes, compareceram no último Mutirão da Catarata realizado pelo HUBFS, no dia 22 de maio de 2010, no hospital. Durante a ação, 600 idosos foram avaliados. Desses, 288 não tinham catarata e 312 poderiam ter. Foi o que constatou a biomicroscopia, exame que triou quem poderia ter ou não a doença. Mas para confirmar, de fato, se os 312 idosos tinham catarata ou outra patologia, a equipe médica do hospital realizou o exame de mapeamento de retina. Resultado: 199 pessoas estavam com catarata e 113 apresentavam outras doenças da visão. Todas que tiveram o diagnóstico da catarata confirmado já realizaram a cirurgia.
Atendimento - De julho a dezembro de 2010, o Hospital Bettina realizou um total de 1.431 consultas oftalmológicas ao mês. Dessas, 873 resultaram em cirurgias, das quais 414 foram de catarata. Em 2009, aconteceram mais de 3,7 mil procedimentos oftalmológicos, sendo 530 deles de catarata. Em 2009, foram mais de 100 mil consultas, entre médicas e não médicas.
Catarata - A catarata atinge quase metade da população mundial acima de 65 anos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que no mundo há 160 milhões de pessoas com a doença. Ainda segundo a OMS, no Brasil, são cerca de 2 milhões de portadores de catarata e 120 mil novos casos a cada ano.
Segundo o coordenador do Serviço de Oftalmologia, professor e mestre Eduardo Braga, o único tratamento para catarata é o cirúrgico. “A cirurgia é segura, rápida e feita sob anestesia local, isto é, substituir o cristalino danificado por uma lente artificial que recuperará a função perdida”. Os resultados são animadores e a recuperação, rápida.
O médico lembra que a doença é confundida por muitas pessoas com o pterígio, conhecido popularmente como "carne crescida". Mas a catarata é uma lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem).
No início da lesão, a pessoa vê como se estivesse com a lente dos óculos embaçada ou com uma névoa diante dos olhos. Com a evolução do quadro, porém, passa a enxergar apenas vultos, o que compromete a visão. “A catarata é inevitável, pois é um processo natural de envelhecimento. Algumas doenças oculares aceleram a progressão da catarata e esta pode deixar a visão tão embaçada que pode causar a cegueira funcional. Por isso, é importante a pessoa fazer consulta com especialista pelo menos uma vez ao ano”, orienta.
Texto e fotos: Cleide Magalhães – Ascom/HUBFS.

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |