O Projeto de Lei 122 e a Agressão a Senadora Marinor

segunda-feira, 16 de maio de 2011.
Como já havia dito aqui no blog é absolutamente inconcebível que o estado de qualquer forma permita agressão, tortura e morte (apesar de na minha concepção o estado sempre desempenhar este papel), pois bem é exatamente isso que o congresso nacional vai estar “legitimando” se caso a proposta de lei 122/2006 for recusada, mais uma vez, só pra recordar, o projeto de lei 122 é uma proposta da Deputada Iara Bernardi que dentre outras prevê a descriminação contra homossexuais como crime, parecido com o que é hoje com a discriminação racial e religiosa, pois bem o projeto tinha sido engavetado e saiu por uma atitude da senadora Marta Suplicy, que de imediato foi “demonizada” pelos setores conservadores e alguns religiosos, por isso que vendo a possibilidade de aprovação da lei eles pediram vista para “maiores estudos”, foi exatamente neste momento turbulento que está a senadora Marinor dando uma entrevista sobre o assunto e aparece fazendo “graça” com um cartaz que ínsita a homofobia o P#@&*¨$! Mais conhecido como Bolsonaro, entre outras agressões trocadas entre os dois, a que eu achei mais ridícula, se é que qualquer coisa que parte do Bolsonaro não seja ridícula, foi quando ele chamou a Senadora de Heterofóbica,
Ora... Ora... Me pergunto até hoje o que faz um deputado que não tem desempenhado outro papel se não o de desunião, o de pregação e disseminação do ódio, do preconceito, da afirmação de estereótipos dentro do congresso nacional, do que me consta a representação contra o deputado movida pela senadora faz parte de uma dezena de outros que até agora não resultaram em nada, duas possibilidades há aqui, ou, o deputado “conhece” muito bem os seus amigos de plenário ou os nosso congressistas são tão velhacos quanto o próprio Bolsonaro. A senadora caiu no erro parecido ao meu, por ter respondido com um ímpeto maior ao seu agressor, no papel que estava se a senadora tivesse tido um pouquinho mais de calma iria conseguir lascar de uma vez com o deputadinho de merda, mas como todo ser humano que tem sangue na veia ocorreu o que ocorreu, no fim acho que tudo parece ficar como está, o deputado permanece no cargo. Agora.. o que não pode ficar como está é a não aprovação da lei 122, é preciso que os movimentos sociais pressionem e que os deputados e senadores não tenham medo de retaliação por parte dos setores conservadores, no final o avanço que representa a lei não pode ser vencido pelo Preconceito.        
Ah... uma ultima coisa, racista, homofóbico, machista tem que estar na cadeia e é lá o lugar de pessoas como o deputado que ao meu ver está no lugar errado, quem tem essas atitudes não tem capacidade nenhuma de representar ninguém, precisa é ser corrigido na cadeia que é o lugar dele. Torço pra que a lei seja aprovada, aí quem sabe o Bolsonaro vai ser o primeiro a experimentar o valor da lei.    

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |