Recebi Por E-mail

domingo, 1 de maio de 2011.
Aumento este ano está vetado

Edição de 30/04/2011



Em audiência, prefeitura garante que não reajustará a passagem
VICTOR FURTADO - Da Redação
Grupos de estudantes e sindicatos conseguiram garantir que, este ano, a Prefeitura de Belém (PMB) não vai aumentar a tarifa de ônibus. Esse foi o resultado de uma audiência pública realizada, na manhã de ontem, no palácio Antônio Lemos, sede da PMB. O palácio ficou lotado. Além de sepultar a possibilidade de reajuste, o Conselho Municipal de Transportes vai se reunir na próxima quinta-feira (5 de maio) para um novo estudo da planilha de custos do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setransbel), base para cálculo do preço da passagem, e disponibilizar o documento para o público. Também será montado um grupo de trabalho para avaliar a qualidade do serviço. Uma nova audiência foi marcada para o dia 12 de maio para discutir os resultados.
A audiência começou às 10h30, com mais de uma hora de atraso. Os visitantes foram recebidos na área aberta dentro do palácio Antônio Lemos, debaixo do sol forte de ontem. Faixas, tambores e cartazes não foram permitidos, mas havia estudantes com nariz de palhaço. Vários depoimentos e denúncias foram levados à coordenadora do programa Ama Belém, Duty Monteiro, do diretor de Transportes da Companhia de Transportes do Município de Belém (Ctbel), Paulo Serra, e do assessor de gabinete Ulisses Alves. Trabalhadores e usuários do transporte público falaram de ônibus quebrados e antigos, da falta de conforto e de manutenção e da sujeira. Os representantes da prefeitura apenas ouviram tudo e não assumiram nenhum compromisso com a melhoria do sistema. Ninguém do Setransbel compareceu e nem o prefeito Duciomar Costa.
Outros assuntos abordados na audiência foram o perdão da dívida de mais de R$ 80 milhões em Imposto Sobre Serviços (ISS) das empresas, lei do ônibus de graça um domingo por mês, meia-passagem para estudantes de cursinhos e gratuidade para desempregados. Nada foi comentado sobre a PMB dar algum subsídio para o sistema de transportes ou criação do bilhete único.
A representante dos estudantes, Júlia Borges, que faz parte do grupo Coletivo Vamos à Luta, ressaltou que a prefeitura não cumpriu nenhum dos compromissos assumidos na reunião anterior, em 23 de março deste ano. "A prefeitura diz que está tudo bem, mas continuamos horas nas paradas esperando por ônibus quebrados e sujos. Querem nos obrigar a andar num transporte sucateado. Ficaram de apresentar um estudo sobre a qualidade e não concluíram", comentou.
Discurso de diretor da ctbel é vaiado pelo público presente
Os resultados obtidos na audiência foram acelerados quando os estudantes e sindicatos ameaçaram ocupar a PMB até que fosse marcada uma nova audiência pública e fosse dada a garantia de que este ano a passagem não seria reajustada. Após a ameaça, o Grupamento de Ações Táticas da Guarda Municipal de Belém (GAT-GMB) foi rapidamente acionado, mas as demandas foram atendidas pacificamente e os grupos se dispersaram.
Diretor Paulo Serra afirmou que a frota de Belém possui 553 veículos novos e que a Ctbel está fazendo operações para tirar das ruas veículos com mais de 10 anos ou sem condições de trafegabilidade. Também ressaltou que Belém tem a tarifa de ônibus mais barata do País. O público riu e vaiou o discurso. "Todo movimento é válido, mas que seja de forma ordeira. Há um representante de estudantes no Conselho Municipal de Transportes. A Ctbel vai continuar com seu papel de fiscalizar. A pesquisa que cobraram está em andamento e não há data para conclusão", disse.
Até mesmo rodoviários foram contra o reajuste e discordaram. O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Ananindeua e Marituba (Sintram), Márcio Amaral, denunciou que ônibus com mais de 20 anos estão sendo reformados e colocados em circulação novamente como se fossem novos. As empresas estariam comprando esses veículos usados das regiões Sul e Sudeste. Os veículos também rodam sem extintor de incêndio e sem tacógrafo (dispositivo automotivo que registra o tempo de uso, velocidade desenvolvida e distância percorrida). "Esses 553 novos ônibus não são verdade. Nós, que trabalhamos e usamos esse sistema diariamente, sabemos que não é. Desafiamos a Ctbel a ir nas garagens das empresas Forte e Perpétuo Socorro e comprovar", criticou Amaral.

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |