River Plate empata com o Belgrano e é rebaixado pela primeira vez na Argentina

segunda-feira, 27 de junho de 2011.
O River Plate tocou o inferno com as mãos. No aniversário de 15 anos da conquista da sua segunda Libertadores, e no mesmo Monumental de Nuñez onde viveu suas maiores glórias, o maior campeão da Argentina viveu neste domingo o maior pesadelo em seus 110 anos de história: um empate em 1 a 1 com o Belgrano, de Córdoba, decretou o primeiro rebaixamento de um dos clubes mais vitoriosos da América do Sul. Depois de ficar em 17º lugar entre 20 times na média de pontos dos últimos três anos no país, e perder por 2 a 0 o jogo de ida do playoff contra o quarto colocado da Série B, restava a última esperança: vencer pela mesma diferença de gols na volta. Mas o apoio da torcida, que lotou o estádio, não foi suficiente. Pavone, que abriu o placar aos cinco minutos, perdeu um pênalti aos 22 minutos do segundo tempo, logo após o empate do Belgrano, e praticamente sacramentou o fim do sonho de permanecer na elite. Agora, Boca Juniors e Independiente são os únicos times que nunca caíram de divisão no futebol argentino.
Pelo regulamento, bastava ao River vencer pela mesma diferença de gols para evitar a queda. Mal a bola rolou, no entanto, a torcida levou um susto: Mansanelli marcou de falta para o Belgrano mas o lance foi anulado porque dois jogadores estavam impedidos, à frente do goleiro Carrizo. Um minuto depois, aos cinco, Pavone abriu o placar para o River Plate, que começou a pressionar em busca do segundo gol. Aos 25, Caruzzo entrou na área pela esquerda e foi derrubado, mas o árbitro Sergio Pezzota, o mesmo da final da Libertadores entre Santos e Peñarol, quarta-feira passada, não deu o pênalti.
No segundo tempo, o River mostrou por que chegou a tal ponto. O time tentou manter a pressão, mas faltou futebol. E numa falha da defesa, a bola sobrou para Farré empatar a partida para o Belgrano, aos 17 minutos. Logo depois, um pênalti duvidoso deu esperança para o River. Mas Pavone bateu muito mal, em cima do goleiro. Aos 44 minutos, com a situação praticamente definida, torcedores tentaram invadir o campo, e foram contidos pelos policiais. Mas a confusão serviu para acabar de forma melancólica com a partida, com os jogadores do River chorando no gramado e os do Belgrano voltando para o vestiário sem poder comemorar o acesso, sob uma chuva de pedras atiradas pela torcida rival.
Fonte: Agência o Globo

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |