Para 2012

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011.
Uma das coisas que pretendo estudar em 2012 é este fenômeno que acontece nesta ex-pacata cidade que hoje integra a Região Metropolitana de Belém e que acharam por o nome de Santa Izabel do Pará. Tem livros sobre isso, o fenômeno é a questão das “aparições” e as “visagens” que desde a fundação de Santa Izabel fazem parte da historia deste lugar, mas como tudo tem um “recorte” eu pretendo analisar a urbanização deste fenômeno, como a agrovila de Belém passa a cidade e ainda sim permanecem as histórias que tem personagens reais e que juram ter vivido o acontecido, como sou fenomenólogo meu objetivo não é avaliar se é “verdade” ou não e sim analisar o fenômeno acontecendo. O livro da professora Minervina de Lourdes Soares de Souza, Lendas Izabelenses, que foi um sucesso na feira do livro é um bom exemplo de como essas histórias fazem parte da vida desta cidade e constituem o imaginário deste povo, seja quem morra as margens dos muitos igarapés que aqui existem ou quem morra na zona urbana todos tem alguma história para contar.
Recentemente tivemos dois casos que ilustram bem isso. O primeiro, a mulher sem rosto. Uma mulher vestida de branco e corpo escultural, daquele estilo violão, para quem não é atento e apenas tem olhos para as curvas da linda mulher não percebe que o que tem na região que deveria constar a sua face são apenas e tão apenas cabelos que lhes cobrem o rosto, muitas histórias surgem de o porquê ela não mostrar o rosto, mas como ninguém nunca entrevistou a visagem não dá para saber se ela tem ou não um rosto debaixo daquele monte de cabelo.
O próximo caso ficou muito popular. Em uma noite de sexta feira uma noite fria e escura, quase sem estrelas, um moto-taxi da cidade faz ponto na conhecidíssima casa de shows Reluz Clube e como de costume espera o fim da festa para carregar o próximo passageiro, acontece que antes de terminar a festa se aproxima uma mulher, uma loira, uma forma exuberante mulherão, de inicio o moto-taxista acredita sem uma pessoa de fora da cidade, pois não a conhecia e como costuma fazer posto ali achou que a bela fosse de fora da cidade, a loira se aproxima monta na garupa e dá as coordenadas da viagem. Chegando a uma região próxima ao cemitério da cidade o moto-taxi percebe algumas caricias fora do comum e começa a pensar que não podia uma mulher daquelas dando o maior mole assim, chegam a encruzilhada que corta o cemitério e as caricias aumentam quando o moto-taxi vira para olhar a loira esta está com o rosto completamente deformado e ao susto de ver aquela criatura horripilante ele pergunta: - quem tu és? E ela responde pulando da garupa e girando na encruzilhada sem parar- Eu sou a pomba-gira e você é meu! O moto-taxi vira a moto e em toda velocidade sem em disparada sem olhar para trás.
Gente, por favor, estas são versões que me foram relatadas como estas histórias passam de boca em boca é bem capaz que a minha versão seja diferente da de alguém que lerá o post, mas não significa que não seja valida. Outra coisa as histórias relatadas acima não são meu estudo, não ainda, são apenas histórias que irei analisar para desenvolver aí sim o trabalho acadêmico.
Em suma o que tenho é isso, mas assim que aprontar o trabalho prometo que publico aqui, isso sem duvidas.

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |