A Serviço de Quem?

terça-feira, 17 de abril de 2012.
Senti-me na obrigação de fazer uma postagem logo na retomada do blog sobre a “insuspeita” empresa de prestação de serviço urbano Expresso Modelo. Nesta demarcação é preciso fazer um retorno ao nosso passado não tão distante. A empresa Expresso Izabelense vinha caminhando normalmente e não dava sinais de dificuldade financeiras até que o seu proprietário fez a passagem para o mundo dos espíritos e os novos administradores não deram conta de manter a empresa, resultado “quebrou que apartou”1 e é exatamente neste limiar que uma das maiores no transporte deste estado viu uma boa possibilidade de negócios e claro $$$$.
As passagens no serviço de transporte público, pois o transporte é público a empresa é apenas prestadora de serviço, nesta urbe sempre estiveram equiparados com o serviço prestado na capital, com a entrada da Modelo isso se modifica, a passagem tem uma elevação de mais de 100% e a desculpa inicial era de novos ônibus, novos funcionários e que todos os ônibus tinham condicionador de ar, mas o tempo passou os condicionadores quebraram e os ônibus já nem são mais o que foram um dia, no entanto, como sempre acontece a empresa com total apoio do atual prefeito Marió Kató se arvoram na idéia de que assim como a expresso Izabelense se a Modelo passar a adotar tarifa igual a de Belém irá quebrar, o que é um absurdo que já foi desmistificado por mim aqui nesta postagem: Antesdas Eleições VI Parte.
Algumas perguntas não querem calar, por exemplo: Por que Santa Izabel entrou na Região Metropolitana de Belém e a prestação de serviço ainda é considerada pelas autoridades como transporte intermunicipal? Por que o órgão fiscalizador do transporte urbano é a Arcon que é responsável pelo transporte intermunicipal e não a empresa pública da Região Metropolitana? Por que os vereadores não regulamentarão essa questão e apresentaram projeto de lei para legalizar a meia passagem, por exemplo?
As perguntas acima pairam como peido podre, mas por nada se obtém uma resposta. Lembro que quando as coisas começaram a pegar pro lado da Modelo e a cobrança veio, eles utilizaram o slogan que a “Expresso Modelo está a Serviço do Usuário de Santa Izabel do Pará”, será mesmo? Já não bastasse a tarifa cobrada de R$3,25 e a meia passagem que é R$1,75, mas espera aí metade de R$3,25 é R$1,75? Agora fica ainda mais gritante o descaso da empresa que não quer fazer investimento e mandar instalar câmeras nos ônibus para coibir a ação de assaltantes que já viraram sócios da casa e vira e mexe entram nos ônibus humilham os passageiros e levam tudo que eles têm, o descompromisso é real e faz com que soframos na pele.
Como ainda não terminaram as perguntas fica mais uma duvida: se o senhor João Sampaio dono da Expresso Modelo vai ser candidato a vice-prefeito em uma chapa já considerada por muitos imbatível, como ficará está relação com alguém que já influenciava em espaço político e agora ocupa um? Estavam fazendo um levantamento dentro dos ônibus pedindo documento de identificação e anotando, o que quereria fazer com este dado a empresa? Será há a possibilidade de suspensão desta meia que não é meia?
Por enquanto tenho uma única certeza que o futuro é incerto e que estas eleições podem mudar de uma maneira como nunca as vidas dos cidadãos desta cidade e de Castanhal.

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |