DISC; DISK; DISQUE...

quinta-feira, 30 de agosto de 2012.
Por Rodrigo Bruno de Sousa*
Antes, não muito distante tínhamos e/ou temos uma massificação do disque sexo, disk pizza, disque remédio, disque água, disk-gás e tantos outros que por hora não recordo. Mas o que me deixou surpreso e ao mesmo tempo motivado a escrever esta breve impressão. Foi o caminho que tomo todos os dias de retorno para casa passo pela Avenida Senador Lemos em Belém, entre dois grandes empreendimentos comerciais. Temos uma loja modesta que leva o nome fantasia que se apresenta assim. Disk-bíblia, fone tal.
        Fiz a seguinte reflexão: O sistema capitalista absorveu a religião, fazendo da mesma um grande negócio? Ou foi a religião que sucumbiu aos encantos do sistema? Que possui em suas estratégias a convocação de todas as manifestações humanas para seguirem seu modelo sistemático e sem duvida pela expressiva repercussão do fenômeno religioso, que se tornou algo que poderia fazer parte do rol comercial? Recordo a passagem de Adorno e Horkheimer[1],O mundo inteiro é forçado a passar pelo filtro da indústria cultural”. Parece que não temos mais alternativa de escolha, e sim uma convocação.
        Nada contra essa forma de comercializar este produto, basta ligar e em pouco tempo, “A palavra de vida eterna” chega a sua casa, no trabalho, ou onde quer que seja. Pronta para ser lida, compreendida, interpretada e posta em pratica sua interpretação democratizando o acesso, sem mediação de especialista. Isso é positivo! Sabemos que nem um livro deve ser interpretado e vivenciado ao pé da letra. Num é verdade? Se não, em uma das passagens do livro de Mateus[2]. Se interpretarmos de forma literal este escrito. Penso o sistema de saúde brasileiro ou de qualquer outro país estaria defasado, como bem presenciamos. Confere? Já imaginou o tanto de deficiente visual, deficiente físico, teríamos? E também o sistema de previdência social, como estaria? Pois a possibilidade de nesses procedimentos cirúrgicos realizados ocorrer falhas médicas, seria bem provável. Tendo que os aposentar em definitivo. Há! Não esquecendo que os próprios agentes de saúde poderiam compor esta demanda, também. Parece brincadeira! Portanto, muita atenção, com interpretações não contextualizadas e não atualizadas em qualquer escrito que seja.
Mais qual o perfil de comprador (a)? Existe? Quem compra dessa forma acha que a mesma tornou-se um produto qualquer? Ou que esta forma de comercializar facilitou estarmos mais perto da palavra de Deus? Sem reflexão! Sabemos também que os cristãos católicos foram ensinados (catequizados) a somente escutar a palavra nas celebrações, não tinham o acesso como nos dias de hoje, esse acesso ocorreu a partir do concilio ecumênico vaticano II que aconteceu entre 1962 a 1965 em Roma. Mas quebrar historicamente essa passividade (escuta) e implantar o uso fervoroso da bíblia é um processo. Muitos a tem em casa como objeto de decoração, ou muito bem guardada no armário, empoeirada. Reflexo da centralização. E a partir da reforma luterana século XVI, os denominados protestantes e um tempo depois os pentecostais e hoje os neopentecostais. Usam o livro da bíblia de forma respeitosa, mais um pouco exagerada por algumas denominações (destas duas últimas identidades acima). Não quero dizer que não haja más interpretações no catolicismo.
Este ambiente comercial especializado em bíblia, também é reflexo da religião em divulgar a urgência e aproximação da palavra de deus aos cristãos. Em atingir a paz, a cura interior, a prosperidade, outros. Pra mim legitimando a democratização deste deus apenas. E quebrando o monopólio ainda sustentado pelo catolicismo. Ainda não entrei neste ambiente, sempre que passo por este geralmente está fechado, após as 18h. Acredito que o (a) proprietário (a) seja evangélico (a). Pois as bíblias são personalizadas e de cores variadas.



[1]Do Livro Dialética do Esclarecimento de 1947 de Theodor Adorno e Max Horkheimer, membros da escola de Frankfurt (Alemanha). Teóricos da Teoria Critica da Sociedade. Pag. 104. Editora Zahar.

[2] Se o olho direito leva você a pecar, arranque-o e jogue-o fora! È melhor perder um membro do que seu corpo ser jogado no inferno. Se a mão direita leva você a pecar, corte-a e jogue-a fora! É melhor perder um membro do que o seu corpo todo ir para o inferno. Mateus 5, 29-30.

Sobre o Autor:
Rodrigo Bruno de Sousa *Rodrigo Bruno de Sousa Nasceu em Altamira no Pará em 82, é bacharel em Ciências Sociais e também graduando do curso de Ciências da Religião – UEPA e participa do Grupo de Pesquisa dos Movimentos, Instituições e Cultura Evangélica da Amazônia - MICEA

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |