Concurseiro, você é seu próprio fiscal!

segunda-feira, 24 de setembro de 2012.

Por Erisson Fanjás

Todo concurseiro deve traçar suas metas e procurar segui-las rigorosamente. Se você programou estudar 2 horas por dia, se separou por partes o conteúdo programático e estipulou um período para concluir, deve de fato cumprir (lembre-se que é importante deixar um período apenas para revisão). Nesse processo você é seu próprio fiscal, caso não siga o que você próprio estipulou, estará sendo prejudicado por você mesmo.

Ao conversar com uma amiga minha daqui de Santa Izabel do Pará, que já prestou 3 concursos públicos e infelizmente não havia passado em nenhum, a mesma desabafou que estava ficando desacreditada, que “não levava jeito pra coisa” e que estava ficando cada vez mais desiludida em ser funcionária pública. Até sua família tirava-lhe as forças.




Realmente isso é verdade, quando começamos a prestar Concursos e vemos que os resultados positivos não vão aparecendo, começamos a julgar nosso potencial, particularmente falando, não desejo isso pra ninguém. No caso dela, já era o terceiro Concurso que havia prestado e sequer ficou na lista de aprovados, muito menos classificados. Contudo, devemos entender que existem Concursos em que de fato não nos damos bem, apesar de ter estudo muito e seguido rigorosamente o planejado. Comparo a vida de um Concurseiro a de um corredor de rua. No meu caso, pratico corrida de rua há 2 anos e de uma coisa tenho certeza, cada corrida é uma corrida, ou seja, tem suas particularidades, apesar de serem geralmente de 10 km.

Logo, cada prova de Concurso é uma prova. Mesmo quando não passamos, temos que tomar como aprendizado. Temos que entender que passar em um Concurso pode ser uma questão de tempo, planejamento e estratégia, sendo que nesse interstício, o candidato não deve se deixar cair no descrédito e de fato continuar com muito afinco seguindo seu plano de estudos, aferindo onde vem sendo prejudicado, como por exemplo: disciplinas com dificuldade, ansiedade, insônia na véspera da prova, “branco” , concentração, pouco tempo pra resolver as questões, etc. Uma vez você identificando onde está o problema, já deu um grande avanço, resta agora buscar formas de minimizá-lo. Algo que julgo relevante é o Concurseiro criar um vínculo de amizade com pessoas de interesse comum, principalmente com aqueles que já militam na área. Na internet existem vários grupos de discussão sobre esta área, sugiro que façam uma busca no FACEBOOK, tem muita gente lá disposta a ajudar. Inclusive podem contar comigo.

Não importa se você fez 3, 8, 30, 50 Concursos, o importante é que você está na luta, você é a primeira pessoa que deve acreditar em você mesmo, você é o seu melhor investimento. Seja fiel ao seu plano de estudo e corra atrás de seu objetivo. Seja seu próprio fiscal.

1 Comentário:

TiagoQuingosta disse...

Muito interessante. Se eu puder um dia largo a Advocacia, quero ser servidor público, trabalhar de 7:30h às 14h e passar o resto do dia fazendo cursos de idiomas, esportes, especializações, mestrados, etc. O que é impossível no momento.

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |