OS GESTORES E OS FATOS

segunda-feira, 10 de setembro de 2012.


Por Lino Oliveira

Há cerca de 35 anos atrás, o então MDB, elegia seu primeiro prefeito em Sta. Izabel, Sr. Alderico Miranda,  escolhido por um grupo que fazia oposição a um determinado chefe político local. O gestor conseguiu executar um trabalho abnegado, muitas das vezes em forma de mutirão, realizando calçamentos de ruas e abrindo várias outras. Ganhando a simpatia do povo, juntava-se a Antonio Romão em 77 e venciam as eleições daquele ano, pela mesma sigla. Romão teve bastante dificuldades no início, porém depois, conseguiu um aval do governador arenista Alacid Nunes, que muito lhe ajudou, o que praticamente salvou o seu discreto mandato.



Em 83, novamente Miranda chegava à prefeitura, agora pela sigla PMDB. Não conseguiu o mesmo ímpeto do governo anterior e teve problemas com a Câmara, que lhe afastou por duas vezes. Com dificuldade de caixa, atrasara o funcionalismo,  deixou um considerável débito na praça. Voltava em 91 e talvez sem apoio partidário, realizou o pior mandato de sua carreira, deixando o município em apertos e sem funcionar. Mesmo assim, não esconde de ninguém que fora "traído" (por quem, só ele sabe) e hoje acompanha a política apenas como apoiador de amigos.



Edilson Abreu que em 87 fora eleito por outra sigla, aliava-se a Jader Barbalho no PMDB em 97. Este seu segundo mandato , não fora tão promissor quanto o primeiro, portanto não conseguiu continuar seu trabalho e desagradou boa parte de seu eleitorado -apesar de novamente ter recebido de Miranda um grande problema para sanar.
Aqui estacionam os ônibus intermunicipais e vendem-se passagens, na BR-316

Como atual gestor número 15, aí está Marió Kato no seu segundo mandato, que se encerra agora em 2012. Quando ganhou a primeira eleição em 2005 sob os auspícios da cúpula do seu partido, parecia que estava disposto a mudar a escrita. Inclusive tinha recebido um município em frangalhos das mãos de Antonio Simão e conseguiu equilibrá-lo e ainda realizar algumas obras. Chegando agora ao final da segunda  gestão, tem afirmado que muito deixou de fazer "por falta de apoio" (de quem?), sendo visíveis e preocupantes as necessidades por que ainda passa o município, como: trânsito, saúde,transportes,urbanismo, emprego, crescimento e mais renda para os cofres municipais. 



Em linhas gerais, foram esses os cidadãos que estiveram à frente do executivo municipal, representando o PMDB, entre 1973 e 2012. Lógico que cada um tem uma história, porém quase sempre recai nas dificuldades e ausência de apoio.

Porém existe apenas uma certeza: Sta. Izabel é um dos municípios que menos progrediu em toda Região Metropolitana de Belém. Quem por acaso duvida, acesse os dados do IBGE.    

Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |