Um dia Sem Niemeyer

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012.

Por Tiago Sousa*

Tem muita gente que dirá no dia de hoje “até que enfim se foi”, mas eu assim como uma boa parcela da sociedade Brasileira deve estar neste momento tentando lidar com a perda de um dos maiores intelectuais nascido em solo Brasileiro. Aliás, isso me faz lembrar de uma atitude que venho notando que infelizmente muitos dos nossos compatriotas parecem torcer para que mentes brilhantes como de Oscar Niemeyer, Dercy Gonçalves, Veríssimo e tantos outros terminem a sua jornada tão logo passem da idade tida como “padrão para morte”, ora eu não poderia deixar passar desapercebido tal atitude, pois torço todas as vezes para que eles se recuperem tão logo dão entrada com algum problema de saúde em hospitais, pois é estranho que um povo torça para que estas pessoas que constroem a cultura, a identidade de uma nação se vão mais rápido. Eu prefiro tê-los conosco um segundo a mais que seja.       
Hoje o Brasil amanhece um pouco mais triste porque amanhece um pouco menos sem Niemeyer, digo um pouco menos, pois ainda o veremos em cada figura, em cada arte poética que este tenha deixado em forma de monumentos como Brasilia a capital que foi toda projetado por Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, O Museu Oscar Niemeyer em Curitiba ou o Monumento em Homenagem ao Movimento Cabanagem que fica na entrada de Belém, só para citar algumas obras de arte. Segundo Fidel Castro o único verdadeiro comunista latino Americano ainda vivo, talvez tenha levado consigo também este papel de ter sido o ultimo representante de uma classe em extinção.
O Brasil hoje perdeu não apenas um arquiteto, mas perdeu sim um poeta que desenhava, dava ritmo, rima e essência ao que fazia e fazia como nenhum outro. O poeta do concreto armado nos deixou.
Uma estrela se apagou, mas como é comum a todas as estrelas que mesmo depois de apagadas nos fascinam com a sua luz que permanece viva aos nossos olhos por milhões de anos. Para a fé de alguns fica a memória que até hoje os cientistas não tiveram a chance de observar a morte de uma estrela, assim será Niemeyer!

Sobre o Autor:
Tiago Sousa*Tiago Sousa Natural de Santa Izabel do Pará, é graduando do curso de Ciências da Religião – UEPA, Técnico em Turismo pelo CEFET-PA turma de 2005 e participa do Grupo de Pesquisa dos Movimentos Socais, Educação e Cidadania na Amazônia - GMSECA. Tiago é o administrador deste Blog, escreve apenas sobre política no Blog Política em Debate e Também escreve versos no Blog Verso Reverso

1 Comentário:

Billy Avalon disse...

Ótimo artigo, concordo plenamente com as idéias apresentadas. Parabéns e sucesso com o blog!

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |