Prazer em Poucas coisas ou Coisas Mínimas

sábado, 6 de maio de 2017.

É incrível como depois de ter passando bastante aperto na vida você passa a ver em coisas mínimas coisas maravilhosas ou em mínimo de qualquer coisa vira algo grandioso, até mesmo o amor quando declarado passa a ser visto de um jeito único.
Eu quase nunca falo ou escrevo sobre isso, mas depois de você ter passado até fome na vida a comida tem um sabor diferente. A falta de recursos financeiros também nos torna mais criativos e solidários. Veja que as pessoas que são despossuídas de bens materiais são vez por outra as que mais se solidarizam com o próximo e estendem as mãos para ajuda-los.
Tenho um objetivo muito claro de tornar essas minhas experiências com o máximo de potencialidade possível para que assim quem sabe eu não possa encontrar-me com o eu sagrado e abrir-me cada vez mais para as coisas mínimas e máximas que me rodeiam.

A máxima dos regimes socialistas e anarquistas é a maximização da solidariedade, um governo ou “desgoverno” em que um conjunto de pessoas atuem por um bem comum e coletivo. Foi tentando fazer com que as pessoas se sensibilizassem com a situação do próximo que alguns desses regimes criaram o sistema de trabalho obrigatório, mas, é claro, que isso deu muito errado, pois a solidariedade pode ser ensinada nunca forçada do contrário o que se gera é a imediata repulsa daquele que deveria se ver mais no outro.   
Enfim... não tenho a intenção de esgotar esse assunto em poucas linhas apenas incitar a reflexão, e para isso segue um vídeo para pensarmos mais um pouco :


Comentários:

 
Blog do Tiago Sousa © Copyright 2010 | Design By Gothic Darkness |